Lourdes Sprenger diz que descaso estimula furto do patrimônio histórico da Capital

A vereadora Lourdes Sprenger (PMDB) manifestou hoje a falta de um plano e de uma atitude do poder público que enfrente a “onda de furtos e depredações do patrimônio histórico cultural urbano” que vem ocorrendo em Porto Alegre. Em pronunciamento feito durante sessão de hoje (16/01) da Comissão Representativa, ela citou o furto do busto do médico alemão Samuel Hahnemann, “o pai da homeopatia”, que estava fixado há 71 anos no Parque Farroupilha, de frente para a Avenida João Pessoa.

Conforme a vereadora, nenhum gestor da Prefeitura se manifestou sobre “esta verdadeira calamidade que atinge a memória histórica da cidade e tampouco se fala na atuação da Guarda Municipal, encarregada de vigiar parques e praças. Acrescentou que “é urgente a necessidade de se fazer um completo inventário sobre estas obras de arte já que ninguém conhece o total de obras existentes e o que foi furtado”. Lourdes diz que o exemplo do descaso é que até hoje nunca se teve notícia de alguém preso ou processado por este tipo de crime.

Pronunciamento
Abaixo a íntegra do pronunciamento da vereadora:

“Senhor Presidente, Caros Colegas Vereadores.
Em nome do líder da bancada do meu partido, vereador Idenir Cecchim, gostaria de abordar um tema que vem precupando a todos nós, que é desaparecimento da memória histórica de Porto Alegre pela onda devastadora de furto de obras de arte das praças e logradouros.

Na semana passada participei de um protesto ao lado de médicos, artistas e historiadores, no Parque Farroupilha, junto ao local de onde foi furtada a escultura do médico alemão SAMUEL HAHNEMANN, o pai da homeopatia.
O busto do médico, homenageado por Porto Alegre, lá estava desde 1943, portanto há 71 anos, de frente para a Avenida João Pessoa, uma das mais movimentadas da cidade.

Feita em bronze, pesava mais de 100 quilos e foi serrada, operação que consumiu no mínimo 30 minutos. Mas ninguém viu, ninguém percebeu a ação dos ladrões.
Nem mesmo a Guarda Municipal que tem a seu encargo a vigilância de praças e parques. É muito provável que esta peça do patrimônio histórico da cidade tenha sido vendida aos chamados FERRO-VELHO, que pagam segundo fui informada TRÊS REAIS PELO QUILO do bronze.

Temos constatado, é verdade, que Porto Alegre enfrenta uma onda de furtos e depredações de seu patrimônio histórico, sem precedentes. Tanto é que o poder público, impotente diante dos fatos, adotou uma solução também sem precedentes: passou a recolher as obras de arte do patrimônio e depositá-las na chamada SALA DAS ESTÁTUAS, um modesto galpão localizado na SMAM.

No mundo inteiro, Senhor Presidente, as grandes cidades expõem, gloriosamente, seu patrimônio à apreciação das pessoas, dos visitantes, pesquisadores e turistas.
Mas aqui em Porto Alegre, uma parte delas está num galpão, outra, desapareceu e se transformou em ferro velho… ainda restam algumas!

Será tão difícil ao poder público adotar uma atitude pró-ativa em relação a esta calamidade no sentido de preservar o patrimônio que ainda resta em nossos logradouros?

Tantas e tantas câmeras tem se anunciado para cuidar de tudo e de todos! Mas e o patrimônio cultural público, que está no espaço urbano, não está contemplado?
Que autoridade do Executivo Municipal dará explicações à população sobre a atuação da Guarda Municipal em relação a estes crimes?

Ou dizer a cidade como a questão está sendo conduzida junto à Polícia Civil e Brigada Militar?
Absolutamente nada! Nada até este momento! Ou seja: apesar dos inúmeros furtos de esculturas de bronze até hoje não se tem notícia de que alguém foi preso ou processado!

Diante da falta de um plano estratégico que preserve as estátuas, monumentos e esculturas de Porto Alegre, resta-nos clamar a quem tem a responsabilidade de garantir a integridade deste patrimônio no sentido de agir com presteza, dedicação e senso público. Caso contrário, esperaremos pelo pior, inclusive com o risco de perdermos a estátua-símbolo desta cidade, o Laçador, tudo pelo desleixo e pelo descaso. Lamentavelmente!”

Fonte: Lourdes Vereadora